Você aceita ajuda quando realmente precisa ?

Você aceita ajuda em um momento de aperto? Aceita que alguém te pegue um refrigerante durante uma hipoglicemia, ou que uma amiga te de bronca se você está deixando de se cuidar? É importante refletir sobre isso!

Recentemente, a nossa colunista Fabiana Couto, life coach , portadora de Diabetes desde os 14 anos e criadora do Movimento Divabética escreveu um texto lindo, compartilhado por muitos amigos no Facebook.

O texto entitulado “Sozinho eu NÃO consigo” fala sobre relacionamento, a dificuldade que muitos têm de pedir ajuda ou, simplesmente, de aceitar que em muitos momentos pode ser que precisemos sim de uma mão amiga.

Quantas vezes a gente se vê em uma situação que dá aquele medo de não dar conta, de não conseguir fazer? Pode ser em situações diversas, para qualquer coisa. Quero contar aqui uma coisa para vocês:

Semana passada eu passei por uma hipoglicemia muito inesperada na madrugada. Isso provavelmente aconteceu porque eu contei carboidrato demais e comi de menos, ou porque a configuração dos carboidratos na bomba de insulina estava um pouco elevada ( foi alterada depois). O fato é que eu estava estranha, acordei por volta das 04h00 e perdi o sono, estava com muita fome. Levantei, contei os carboidratos, apliquei insulina e comi. Algum tempo depois, meio sonada – mas não em sono profundo – cheguei a cozinha quase que engatinhando: com tanto calor, passando tão mal, transpirando como em uma sauna e com a sensação de que eu iria sair do corpo. Nem medi, na bomba aparecia a mensagem “abaixo de 40”.

Imaginem só: se existe um certo atraso do sensor para a glicemia do sangue, sei lá com quanto eu poderia estar. Eu não conseguia ficar de pé: fiz agua com açúcar bem doce, peguei um canudo, deitei no chão gelado da cozinha ( eu sempre acho que passando frio eu não vou apagar) e bebi. Depois de um tempo, com o meu cachorro me encarando, levantei e fui para a cama de novo. Saldo desse terror: acordei moída, com a glicemia alta ( acho que exagerei no açúcar) e levando bronca: meu marido me perguntou porque eu não acordei ele e não pedi ajuda. Naquele momento, ele – que estava sem sono também – havia adormecido, e eu não quis incomodar. Quase apanhei.

Ele tem razão? Com certeza tem. A gente sempre acha que vai dar tempo, que vai dar conta, que é capaz de fazer sozinho. É muito chato depender de alguém para fazer alguma coisa, mas esse “pedido de socorro” pode salvar nossa vida em um momento de agonia. As vezes, a nossa hipoglicemia não nos deixa reagir. Ou deixa a gente muito devagar.

E não é só na hipoglicemia que podemos precisar de algum tipo de ajuda! Tenho percebido, no grupo de blogueiros que está testando a bomba, que muitas vezes um pergunta para o outro sobre alguma coisa, temos duvidas, queremos compartilhar decisões. Já nos ajudamos com insumos, dicas. Já dividi com amigas anseios emocionais.

Somos cobrados incansavelmente uma perfeição que é praticamente impossível de atingir. Tudo nos coloca a prova: o stress, o medo, os problemas financeiros, a faculdade, o relacionamento, a doença do filho. Somos seres humanos, antes de termos diabetes. Não dá pra não viver a vida como ela é. Tem que ser assim. Mas isso gera muita angústia.

Quando abrimos as redes e vemos aquelas várias hemoglobinas glicadas em números incríveis , e estivermos em uma fase mais complicada, nos achamos perdedores. Isso está certo? Acho que não! Corpos maravilhosos, peles perfeitas, vidas plenas e felizes. Será que todo mundo é feliz o tempo todo? Pode ter certeza que NÃO!

E aceitar que podemos sim ter o direito de errar, de ter que repetir e de sim, pedir uma “mãozinha” as vezes para colar o adesivo do sensor, picar o dedo quando estamos com hipoglicemia, ou até pedir um copo de agua com açúcar para nos socorrer não fará de nós seres menores, inferiores, menos importantes.

Pensei muito nisso ultimamente, e com o texto da Fabiana, trouxe para minha realidade novamente algo que aprendi depois de amadurecer com o Diabetes: é muito melhor quando podemos ter com quem contar. Fica mais fácil, fica mais leve, fica mais fácil de levar adiante.

Confiram aqui o link para o texto da Fabi!

Vocês tem alguma história legal pra contar de auxílio que recebeu de alguém em alguma situação complicada? Escreva pra nós!

Um grande abraço, com muito carinho!

 

© Copyright – 2015 Clube do Diabetes. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: mufasa