Você sabia que os gatos também têm diabetes?

Confira como cuidar do seu bichinho com essa condição

Como cuidar de gatos diabéticos Clube do Diabetes

Assim como os seres humanos, os gatos também podem desenvolver diabetes ao longo da vida. Essa condição em pets precisa de atenção redobrada e cuidados especiais, pois costuma se manifestar durante a velhice.

Porém, com o aumento do número de animais com sobrepeso, os casos de diabetes felina – tipo 1 e tipo 2 – também elevaram significativamente. Por isso, é preciso observar com cautela os hábitos e a dieta do animal de estimação, pois é um problema grave assim como em nós.

 

Diagnóstico e sintomas

Para detectar a doença, mantenha os exames de rotina do seu pet sempre atualizados, principalmente os de sangue e urina. Caso alguma anormalidade seja detectada, é possível começar o tratamento com antecedência e garantir uma vida longa ao gato.

E além dos exames, é possível perceber algumas mudanças no comportamento dos gatos. Geralmente, quando o animal está desenvolvendo o diabetes, fica com muita sede, vontade excessiva de fazer xixi, fome constante mesmo depois de realizar uma refeição, por exemplo. Caso você avalie alguns desses sintomas, é preciso levar seu bichinho a um veterinário.

 

Tratamento

Na maioria dos casos, os gatos desenvolvem o tipo 2 da condição – que está diretamente ligado à obesidade. Ou seja, o pâncreas do felino não tem autonomia para produzir insulina. Nessa situação, o veterinário receitará a aplicação de insulina diária.

Entretanto, se o quadro não for tão grave, mudanças de hábitos podem ser suficientes. O uso de rações especiais, que têm as porcentagens de gordura e carboidratos menores, além de controlar a quantidade de cada porção, já são ações que podem deixar seu gato mais saudável.

Além disso, é preciso adquirir também um monitor de glicose para que qualquer tipo de alteração seja detectada com rapidez. A insulina, por sua vez, deve ser mantida em local com temperaturas de 4ºC a 10ºC. Ter uma grande quantidade de seringas é essencial, pois é preciso fazer o descarte a cada aplicação.

 

Consequências

Caso o diabetes não seja tratado da forma correta, algumas complicações podem ser desencadeadas, como cegueira, insuficiência renal, neuropatia, hiperglicemia entre outros. Por esse motivo, após o diagnóstico, é preciso realizar exames frequentes para ter a certeza de que a patologia está sendo controlada.

Leve o seu animal de estimação ao veterinário com frequência. Essa é a forma mais eficaz de detectar o diabetes e outras doenças mais graves.

Falando em pets, confira outras matérias aqui no Clube do Diabetes:

Aproveite para seguir o @clubedodiabetes no Instagram. E se quiser ver algum assunto por aqui, deixe um comentário!


SIGA O INSTAGRAM @CLUBEDODIABETES