5 dicas para crianças diagnosticadas com diabetes tipo 2

Confira como auxiliar na convivência dos pequenos com essa condição
Crianças com diabetes tipo 2 Clube do Diabetes

Quando uma criança é diagnosticada com diabetes, normalmente é o tipo 1 da condição – a autoimune. Mas, com o aumento do consumo de alimentos fritos, doces, refrigerantes e a falta de exercícios físicos, a obesidade em crianças tem aparecido cada vez mais cedo e, com ela, o diabetes tipo 2.

Esse excesso de peso e de gordura criam uma espécie de resistência do corpo à insulina, prejudicando a ação do hormônio no organismo dos pequenos. Mas, isso não deveria acontecer! 

Há 20 anos, essa doença não era comum entre crianças. Hoje, porém, um estudo da American Diabetes Association mostrou que a cada 100 crianças e adolescentes com diabetes, 30% possuem o tipo 2 da condição. 

Com esse resultado alarmante, é muito importante tomar alguns cuidados com os pequenos. Para isso, separamos 5 dicas para você ajudar seu filho diagnosticado com essa doença. Veja só:

Não ofereça bebidas açucaradas

Refrigerantes e sucos com alto teor de açúcar são muito prejudiciais à saúde, pois possuem alto índice glicêmico, o que prejudica o diabético. Quando um alimento possui essa taxa elevada, a absorção da substância pelo corpo é rápida, o que aumenta a concentração de glicose no sangue, gerando a hiperglicemia

Acrescente legumes e verduras na dieta

Quanto mais legumes e verduras você conseguir adicionar na dieta do seu filho, melhor! Um prato colorido é sinônimo de diversidade de nutrientes, antioxidantes, fibras, vitaminas e minerais.  

Aliás, sempre que possível, ofereça esses alimentos cozidos a vapor ou até mesmo crus. Por isso, evite ingredientes como manteiga, óleo e molhos que agregam calorias às refeições. 

Prefira pães e massas integrais

Alimentos integrais ajudam no controle do diabetes, pois são uma ótima fonte de fibras. Esse grão ajuda a reduzir o índice glicêmico das refeições, controla o peso, prolonga a sensação de saciedade e ainda melhora a sensibilidade do corpo à insulina. 

Evite o sedentarismo

É muito importante incentivar as crianças a realizarem atividades físicas. Como essa condição está diretamente ligada à obesidade, promova exercícios e brincadeiras que estimulem o interesse dos pequenos.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é que crianças pratiquem atividades pelos menos cinco vezes por semana. 

Além disso, os exercícios ainda melhoram as taxas do HDL (colesterol bom), derrubam o LDL (colesterol ruim), queimam calorias e ainda elevam a sensibilidade do corpo à insulina. 

Verifique os níveis de glicemia 

Faça regularmente a medição da glicemia das crianças. Para isso, tenha um glicosímetro em mãos, aparelho capaz de avaliar a concentração de glicose no sangue. Fure o dedo da criança com a lanceta e, em seguida, pingue uma gotinha de sangue no medidor. Geralmente o resultado aparece em 5 segundos. 

Esse procedimento auxilia na identificação das altas e baixas taxas de açúcar no sangue antes que causem problemas mais graves. 

*Procure um médico para receber orientações profissionais. 

Da mesma forma, os adultos também não ficam para trás quando o assunto é o diabetes. Segundo o Ministério da Saúde, cerca de 90% dos portadores dessa condição no Brasil são tipo 2. Fique atento a sua saúde e a de seus filhos. 

Tem interesse em matérias referentes ao diabetes tipo 2? Há mais algumas por aqui! Confira: 

Você já segue o Clube no Insta? Aproveite e faça isso agora: @clubedodiabetes. E se quiser ver algum assunto por aqui, deixe um comentário! 


SIGA O INSTAGRAM @CLUBEDODIABETES