Quem tem Diabetes pode doar sangue? Conheça as regras!

Doar é possível, saiba mais e verifique suas possibilidades

Está pensando em doar sangue, mas não sabe se é possível por ter diabetes? Essa é uma dúvida válida, já que a lista de restrições para doar não é curta. Afinal, por ser uma doença que influencia os níveis de glicose no sangue, mas ter diferentes classificações e tratamentos, o diabetes não pode ser colocado em somente uma coluna de permissão ou proibição. E então, onde encontrar o regulamento claramente?

O site do Ministério da Saúde tem uma página exclusiva que explica os procedimentos da doação e quem se encaixa ou não nos requisitos. Porém, em nenhum lugar é mencionado o diabetes, qualquer que seja o tipo.

Já a Fundação Pró-Sangue, que tem hemocentros espalhados pelo estado de São Paulo, cita o diabetes na página onde lista os grupos que não podem doar. Na lista, é classificado com impedimento definitivo, o paciente “diabético com complicações vasculares ou em uso de insulina”. Ou seja, a informação existe, mas também não é muito detalhada.

Por isso, trouxemos aqui para o Clube todas as informações, explicando quem pode ou não doar, e o motivo para isso. Confira abaixo!

A regra

O regulamento de permissão para doação de sangue é padronizado mundialmente pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Ele visa reduzir as chances de contaminação de doenças por meio da transfusão sanguínea, classificando grupos de risco para facilitar a triagem. No caso de pacientes diabéticos, a determinação é:

– Quem pode doar

Indivíduos com diabetes (tipo 2 ou mody, ou seja, que não usam insulina) bem controlado, com dieta regrada, prática de exercícios ou de medicação oral, que não tenham histórico de pressão baixa, nem evidência de infecção ativa, neuropatia ou doença vascular – em especial feridas nos pés.

– Quem não pode doar

Pacientes diabéticos em uso de insulina (tipo 1 ou tipo 2 insulinizados) ou com complicações do diabetes. Os porquês são explicados pelo médico endocrinologista Dr. Mateus Dornelles Severo, no portal da Sociedade Brasileira de Diabetes.

A primeira condição é que o voluntário à doação de sangue esteja em bom estado geral de saúde. Em outras palavras, não deve estar com a doença descompensada nem com infecções ativas.

Essas precauções são importantes para garantir tanto o bem-estar do doador quanto a saúde do receptor. O procedimento retira uma bolsa de 450ml de sangue do doador que tem, em média, 5 litros no corpo. Isso significa um pouco menos de 10% do volume total – o que não causará repercussões negativas para pessoas saudáveis, mas pode ser prejudicial aos pacientes diabéticos.

Apesar de não existirem estudos avaliando exclusivamente indivíduos com diabetes, efeitos adversos associados à doação de sangue não parecem ser maiores em pacientes diabéticos – contanto que sua condição esteja controlada – quando comparados a doadores sem a doença.

Pacientes com diabetes tipo 1 e tipo 2 em uso de insulina, ou outras terapias injetáveis, não poderão doar. Isso é porque, durante a entrevista de triagem, não existe a possibilidade de garantir que as técnicas de injeção sejam apropriadas. E isso gera dúvidas com relação a infecções, especialmente hepatites virais.

A doação de sangue

Que doar sangue é uma iniciativa extremamente importante e salva vidas, todo mundo sabe, mas existem muitas dúvidas com relação aos motivos das restrições. Por isso, muita gente acaba por não ir aos bancos de sangue por assumir que seu sangue não será aceito. Em março deste ano, o Ministério da Saúde alertou a população sobre a queda no número de doações, o que tem impactado a disponibilidade nos bancos de sangue no país.

Na declaração, o coordenador da área de Sangue e Hemoderivados do Ministério, Flávio Vormittag, reforçou a importância da atitude: “O sangue é insubstituível. Ainda não existe nenhum tipo de medicamento que possa substituir a doação de sangue. E quem precisa, só consegue graças à generosidade de quem doa. O importante é doar regularmente, pois em períodos de férias e seca, a tendência é diminuir os estoques. Vale lembrar que uma doação pode beneficiar até quatro pessoas”.

Então, se você se encaixa no perfil acima, seu diabetes está sob controle, e não faz uso de insulina, converse com seu médico e não deixe de doar!

© Copyright – 2015 Clube do Diabetes. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: mufasa