Mais monitorização e mais benefícios no tratamento

Monitorar a glicemia em tempo real e várias vezes ao dia pode auxiliar muito o controle do seu diabetes

Muitos de nós já conhecemos o Freestyle Libre da Abbott, o revolucionário sistema que chegou ao Brasil cerca de 2 anos atrás e praticamente fez a necessidade das pontas de dedo sumirem para quem usa o sensor.

O Libre já é usado por mais de 650 mil pessoas em mais de 42 países, incluindo o Brasil, de acordo com o balanço global mais recente da empresa.

Além desse resultado, a Abbott traz resultados de um levantamento realizado com mais de 250 mil pessoas com Diabetes Tipo 1 e Diabetes Tipo 2, de diferentes idades e usuárias de tecnologia, apresentado recentemente do congresso annual da Asociação Americana de Diabetes, a ADA (American Diabetes Association’s 78thScientific Sessions)

Segundo o levantamento, usuários da tecnologia medem seus níveis de glicose em média 13 vezes ao dia4. E, entre os que a verificam mais vezes ao longo do dia, houve redução de 37% no tempo em hipoglicemia, em comparação com o grupo que o fez com menos frequência (15,2 versus 24,2 minutos/dia).

O mesmo foi verificado nos casos de hipoglicemia noturna (12,7 versus 19 minutos/noite). Com isso, o levantamento atesta que o uso mais frequente do sistema FreeStyle Libre está associado a um melhor controle da glicose5, o que, por sua vez, reduz a incidência dos episódios de hiper e/ou hipoglicemia diurna ou noturna.

Já entre brasileiros, a média de monitoramento com o FreeStyle Libre é de 14 vezes ao dia, o que significa três vezes mais do que o mínimo recomendado pelas diretrizes brasileiras6 para os testes tradicionais, que precisam da punção no dedo. O sistema está disponível para adultos no mercado brasileiro desde 2016 e para uso em crianças a partir de 4 anos de idade desde 20177.

 

Referências:
  1. Há três circunstâncias nas quais o teste de ponta de dedo é necessário: a)Durante períodos de rápida alteração nos níveis da glicose (a glicose do fluido intersticial pode não refletir com precisão o nível da glicose no sangue); b) Para confirmar uma hipoglicemia ou uma iminente hipoglicemia registrada pelo sensor; c) Quando os sintomas não corresponderem às leituras do sistema flashde monitoramento da glicose.
  2. Data on file, Abbott Diabetes Care.
  3. Seibold, Alexander et al. A Meta-Analysis of Real World Observational Studies on The Impact of Flash Glucose Monitoring on Glycemic Control as Measured by HbA1c. Presented at the American Diabetes Association 78thScientific Sessions. https://plan.core-apps.com/tristar_ada18/abstract/5188446740e191fd289345d56a78c104
  4. Pryor, Heather et al. Real-world Patterns of Daytime and Nocturnal Hypoglycemia during Flash Continuous Glucose Monitoring. Presented at the American Diabetes Association 78thScientific Sessions. https://plan.core-apps.com/tristar_ada18/abstract/5188446740e191fd289345d56a7d4359
  5. Jangam, Sujit et al. Glucose Variability and Flash Glucose Monitoring in the Real World. Presented at the American Diabetes Association 78thScientific Sessions: https://plan.core-apps.com/tristar_ada18/abstract/5188446740e191fd289345d56a7a6d8e
  6. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016) / Adolfo Milech…[et. al.]; organização José Egidio Paulo de Oliveira, SérgioVencio – São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016; 26-27.
  7. Um cuidador de pelo menos 18 anos é responsável por supervisionar, administrar e ajudar a criança ou adolescente de 4 a 17 anos a usar o sistema FreeStyle Libre e a interpretar suas leituras.
FS Libre Leitor Registro – MS ANVISA: 80146501903 / FS Libre Sensor – RMS ANVISA: 80146502021. Aprovação ANATEL 4072-14-9992.

© Copyright – 2015 Clube do Diabetes. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: mufasa