10 fatos um pouco difíceis sobre o Diabetes e como lidar com isso

Afinal, assim como qualquer outra pessoa, nem sempre estamos otimistas…

Conviver com o Diabetes nem sempre é fácil e isso é um fato. E quem vive essa realidade sabe o quão difícil é enfrentar as verdades e as realidades sobre essa patologia. E é claro que a intenção é sempre manter o foco na saúde, estar de bem com a vida independentemente da situação e, sobretudo, saber lidar com cada adversidade que aparece.

Mas, não é fácil se manter com essa linha otimista todos os dias. Por exemplo, como ainda não tem cura, o paciente sempre vai precisar de tratamento e dietas, além de cuidar da pele e da circulação, do sono, do emocional…. Isso às vezes pode cansar um pouco, não é mesmo?

Veja, abaixo, 10 situações que podem dificultar um pouco a rotina de quem tem diabetes, principalmente em um dia em que não estamos com o melhor dos humores, e saiba como lidar com isso!

1. Ninguém está livre!

“Diminua a quantidade de doces, isso pode dar diabetes!” ou “com esse tipo de dieta vai virar diabético quando menos esperar”. Ouvimos isso o tempo todo, de pessoas saudáveis, que falam isso para outras pessoas até então saudáveis, ameaçando suas integridades com uma realidade que nós vivemos todos os dias.

Ou seja, a “condição” que convivemos todos os dias vira ameaça para outras pessoas saudáveis. Ninguém merece, né? De qualquer maneira, vale lembrar que homens e mulheres de todas as idades podem desenvolver o diabetes. Mas, os cuidados devem ser redobrados após os 18 anos, período no qual a incidência da doença aumenta. Mas, isso não é uma regra.

2. Não tem cura

Ainda não tem e nós sabemos disso! Ninguém precisa dizer que teremos que conviver com o diabetes para sempre. Porque já sabemos disso. Temos uma rotina de saúde severa e regular. Ou seja, visitamos médicos, sabemos as nossas possibilidades e a nossa realidade.

Mas, pode ser que haja cura no futuro. E gostamos dessa esperança! Vale saber: cientistas estão fazendo diversos estudos: para o diabetes tipo 1, terapias com células-tronco em pacientes recém diagnosticados. Para a diabetes tipo 2, o que mostra bons resultados são as cirurgias de redução de estômago, mesmo para quem não estão acima do peso.

3. Dietas com pouco carboidrato

Carboidratos tem grande quantidade de açúcar, que podem cair na corrente sanguínea e piorar o quadro do paciente. Por isso, deve ser evitado. Além disso, quem tem diabetes tipo 2 precisa controlar o peso para que a insulina trabalhe melhor. E consumir menos carboidratos pode ser uma boa escolha para isso. Fazer o que, né? Essa é outra verdade chata de engolir, mas necessária!

4. Tratamento

O tratamento gera toda uma mudança no estilo de vida: alimentação balanceada, exercícios físicos regulares, hidratação constante e uma possível e necessária perda de peso. Para quem tem diabetes tipo 1, o ideal é ver a melhor forma de tratamento e adequar o uso da insulina com o plano alimentar do paciente.

E sim, o tratamento irá acompanhar a vida do diabético para sempre. Todos os dias. Várias vezes ao dia, quando será preciso contar os carboidratos de cada refeição, verificar a insulina, lembrar-se constantemente de se manter no esquema alimentar e por aí vai.

5. Propensão a outras doenças contagiosas

O diabetes não controlado diminui a capacidade do corpo de se proteger contra micro- organismos. Com o excesso de glicose, o desempenho dos anticorpos são comprometidos aumentando a probabilidade do corpo de adquirir doenças como o resfriado, por exemplo.

Além disso, muito açúcar no sangue e na urina pode favorecer a proliferação de fungos e bactérias. Então, a realidade de outros quadros, além do diabetes, é uma constante que nem sempre é fácil de encarar. Só por isso, já vemos a grande necessidade de manter a glicemia controlada a maior parte do tempo, já que isso só fará bem para nós!

6. O estresse só piora…

O estresse produz hormônios que contribuem para a resistência à insulina e, com isso, a glicemia pode subir. Isso pode fazer com que uma pessoa desenvolva diabetes ou, no caso de quem já tem, piore o controle glicêmico.

Então, mesmo quando não conseguimos controlar o nosso stress, é preciso respirar fundo, contar até 10 mentalmente e lembrar de que, no final das contas, botar o estresse para fora não vai aliviar em nada a situação – ao contrário, vai apenas piorar trazendo ainda outros problemas.

7. Pé diabético

Como o Clube do Diabetes já explicou, o “pé diabético“ é o problema mais frequente entre aqueles que possuem a patologia. Você sabia que, aproximadamente, 15% dos diabéticos desenvolvem essas feridas? Pois é! A alta dosagem de glicose no sangue faz com que as artérias se endureçam e que os vasos sanguíneos fiquem mais estreitos. Com isso, a circulação do sangue é dificultada, principalmente nas extremidades do corpo.

8. Probabilidade maior de disfunção sexual

Nos homens, a falta de tratamento adequado para o diabetes pode causar um estreitamento das artérias e diminuir a circulação do sangue, causando a dificuldade ou falta de ereção. Na mulher, as infecções vaginais podem aparecer e causar secura vaginal, o que traz mais dores e desconfortos no ato sexual.

9. Nem sempre é fácil lidar com o diagnóstico

A intenção é pensar positivo, encarar tudo da melhor maneira possível e, de preferência, não fugir de todo o plano de vida saudável que precisamos seguir. Mas, nem sempre é fácil lidar com essa realidade.

Às vezes, dá vontade de fugir desse diagnóstico. Dá vontade de comer o que quiser na hora que quiser, colocar açúcar branco no café e mandar para o beleléu a leitura de glicose diária. Mas, como não tem jeito, esses momentos passam (e tem que passar mesmo) rápido…

10. Em alguns casos, é possível evitar o diabetes

O diabetes tipo 1 depende exclusivamente do funcionamento do pâncreas e, portanto, não tem jeito. Porém, o diabetes tipo 2, em certos casos, pode ser evitado. A adoção de um estilo de vida mais saudável pode ajudar: dietas balanceadas e adequadas às necessidades calóricas e nutricionais e exercícios físicos regulares ajudam.

Então, cuide-se! Afinal, muito mais complicado do que mudar o estilo de vida é conviver com uma doença que exige tanto de nós. Mas, a gente aprende a lidar com o tempo. Acredite!

Vivemos um dia após o outro, assim como qualquer outra pessoa que tenha e viva em qualquer tipo de condição. É claro que existem contratempos e dificuldades, dúvidas e angústias. Mas, quem não passa por isso na vida? O importante é viver tranquilo e de forma positiva. Se você controlar bem sua glicemia e ter hábitos saudáveis, poucas serão as suas preocupações.


SIGA O INSTAGRAM @CLUBEDODIABETES