10 fatos que você provavelmente não sabia sobre o diabetes

Hora de aprender ainda mais sobre essa condição!

O diabetes é uma das doenças mais comuns da atualidade. Pense bem: você, muito provavelmente, conhece alguém que tem diabetes, mas poucos entendem essa doença com profundidade.

É comum, por exemplo, achar que ingerir muito doce vai te tornar diabético, ou que a diabetes tipo 2 é um quadro mais avançado da diabetes tipo 1. Além disso, muitas outras dúvidas normalmente existem: animais podem ter diabetes? Por que pessoas acima do peso são mais propensas a desenvolverem essa doença?

E por aí vai! Para ajudar a solucionar todas essas dúvidas e tantas outras que surgem, separamos algumas informações abaixo que vão ajudar! Veja, abaixo, alguns fatos que você provavelmente não sabia sobre o diabetes.

1. Excesso de açúcar na alimentação não causa diabetes

Talvez esse seja o erro mais frequente quando se trata do diabetes. Ao contrário do que muitos pensam, o excesso de glicose no sangue não vem apenas da ingestão exagerada do açúcar.

O que acontece é que, muitas vezes, o diabetes tipo 2 é desenvolvido em consequência de vários fatores, dentre eles o aumento de peso – que, por sua vez, pode ser desencadeado pelo consumo excessivo de açúcar, além de carboidratos e alimentos muito calóricos. Gordura em excesso também se transforma em glicose no sangue, sabia? Só que o processo leva mais tempo, pois a digestão da gordura e mais lenta. Além disso, outros fatores como histórico familiar e sedentarismo entram na lista de causadores do diabetes.

2. Diferença entre os tipos de diabetes

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune que afeta o funcionamento do pâncreas, impedindo que o órgão produza insulina suficiente. Esse tipo é desenvolvido tanto na infância quanto na vida adulta-jovem e o tratamento é feito com insulina.

O diabetes tipo 2 acontece decorrente a uma combinação de fatores, como estilo de vida sedentário, má alimentação e outras possíveis razões, como a hereditariedade. Nesse caso, o organismo não consegue usar a insulina da forma correta ou não produz hormônio suficiente para controlar os níveis de glicemia. Além disso, o contrário do primeiro tipo, o diabetes tipo 2 pode ser prevenido com uma alimentação saudável e exercícios.

3. Pré-diabéticos

O pré-diabetes é o estado em que o nível de glicemia está alto, mas não o suficiente para ser classificado como diabetes. Se não houver mudanças na alimentação e emagrecimento, esse quadro pode se agravar e, por consequência, tornar-se diabetes.

4. Quem precisa de insulina

A insulina é indispensável para os pacientes de diabetes tipo 1, já que o corpo não cumpre a função de produzir essa substância. Pessoas com diabetes tipo 2 geralmente utilizam insulina em fases de descontroles, como estresse e infecções, ou em casos muito avançados em que os outros remédios não conseguem controlar os níveis de açúcar com medicamentos orais.

5. Alimentação

Quem tem diabetes deve seguir uma dieta com pequenas doses de açúcares e carboidratos, combinados adequadamente com gorduras boas, proteínas e muita fibra. Caso o paciente esteja acima do peso, é necessário evitar comidas com alto índice de calorias e gorduras.

6. Como os antidiabéticos orais funcionam?

O chamados remédios antidiabéticos orais podem agir de várias formas, como para diminuir a absorção de glicose pelo organismo, melhorar sensibilidade à insulina e/ou estimular a produção dela pelo pâncreas.

7. Falência no pâncreas: como saber?

Em casos muito avançados do diabetes, o pâncreas pode ser prejudicado. Isso pode ser percebido por meio de sintomas como perda de peso, hiperglicemia e níveis de glicemia que não baixam mesmo com o uso intensivo de medicamento. Além disso, tem uma exame que mede a secreção do peptídeo e mostra a quantidade de insulina que o pâncreas produz. Esse exame deve, sempre que possível, ser solicitado pelo médico endocrinologista.

8. Não são só os humanos

Você sabia que gatos e cachorros também podem desenvolver o diabetes tipo 1 e tipo 2? Pois é! Os sintomas são parecidos com os dos humanos: perda de peso, aumento no apetite, ingestão de água e maior frequência urinária.

9. Por que pessoas acima do peso têm uma probabilidade maior de desenvolver o diabetes?

Maus hábitos alimentares, sedentarismo e estresse são elementos de relação entre a obesidade e o diabetes tipo 2. Além desses fatores em comum, pessoas acima do peso têm mais chances de desenvolverem diabetes, pois a acumulação de gordura dificulta a função da insulina de transformar glicose em energia.

10. Formigas na urina

Parece história inventada, mas há casos em que pessoas foram diagnosticadas com diabetes após encontrarem formigas no vaso sanitário. Isso pode acontecer porque, quando o nível de glicose está muito alto, o corpo busca eliminar a glicose do sangue de outras formas, uma delas é por meio da urina.

© Copyright – 2015 Clube do Diabetes. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: mufasa