Medicamento semanal para Diabetes Tipo 2 chega ao Brasil

Chega ao Brasil o primeiro medicamento semanal para tratar o diabetes tipo 2

trucility-carrossel

Trulicity simplifica o tratamento da doença crônica que acomete um em cada 11 adultos em todo o mundo1. Graças à sua eficácia no controle glicêmico e ação prolongada, a nova terapia injetável reduz de 365 para 52 o total de aplicações no ano

 O laboratório Lilly traz para o Brasil Trulicity (dulaglutida), o primeiro medicamento injetável de uso semanal indicado para tratamento do diabetes tipo 2 do país. A nova terapia foi especialmente desenvolvida para simplificar o tratamento da doença crônica que acomete cerca de 415 milhões de pessoas em todo o mundo, de acordo com dados da International Diabetes Federation (IDF)[1]. Somente no Brasil, são 14,3 milhões de portadores de diabetes  – a maioria com o tipo 2 –, número que coloca o país na quarta posição da lista das nações com maior prevalência da doença, atrás de China, Índia e Estados Unidos1. A projeção é que, em 2040, este número cheue a cerca de 23,3 milhões .

Como funciona este medicamento?

A dulaglutida é uma molécula inovadora, agonista do receptor de GLP-1, hormônio produzido naturalmente pelo organismo, responsável por estimular a secreção da insulina e inibir a liberação do glucagon. A insulina –  hormônio que todos nós ouvimos tanto falar   – é sintetizada e excretada pelo pâncreas logo após as refeições. Sua função é retirar o excesso de glicose (açúcar) do sangue e enviá-la para as células, onde são armazenadas na forma de glicogênio. Já o glucagon funciona de maneira oposta à da insulina: age no fígado, quebrando o glicogênio em glicose. Entra em ação quando o indivíduo fica longos períodos sem se alimentar e é responsável por elevar os níveis de glicose no sangue, gerando energia para o funcionamento do corpo.

Nos estudos clínicos, a dulaglutida demonstrou uma redução significativa da hemoglobina glicada (HbA1c) , já que o medicamento estimula o organismo a liberar insulina na presença de altos níveis de glicose, diminuir a concentração de glucagon e atrasar o esvaziamento do estômago.

O medicamento foi desenvolvido para ter ação prolongada, o que permite a aplicação apenas uma vez por semana, reduzindo a quantidade de injeções de 365 para apenas 52 ao ano. A melhora no controle da glicose começa após a administração da primeira dose e é mantida por uma semana, até a próxima aplicação.ATENÇÃO: ESTE MEDICAMENTO NÃO É INSULINA!!!

Outra inovação do produto é a caneta aplicadora inteligente, que vem pronta para uso. Basta acioná-la com um clique para que o medicamento seja administrado por meio de uma agulha de pequeno calibre, que não fica visível, e conferir no dispositivo a confirmação da aplicação da dose. 

 Trulicity melhorou o controle glicêmico e também  apresentou redução de peso, fator importante, já que uma grande parcela dos pacientes com diabetes tipo 2 apresenta sobrepeso ou obesidade. Além disso, diminuiu os episódios de hipoglicemia, consequência comum de muitas terapias indicadas para o tratamento da doença.

 Os benefícios da redução da glicada 

A diminuição de apenas 1% na hemoglobina glicada dos pacientes com diabetes reduz em:

  •  21%o número de mortes;
  • 37% as complicações microvasculares como retinopatia ou nefropatia;
  • 14% a ocorrência de doença cardiovascular;
  • 43% as amputações e doenças vasculares;
  • 12% a ocorrência de acidente vascular cerebral (AVC).

 Para que paciente este medicamento é contra-indicado? 

Trulicity é indicado como um adjuvante à dieta e ao exercício para melhorar o controle da glicemia em adultos com diabetes tipo 2 quando a metformina está contraindicada ou é considerada inadequada por intolerância. O medicamento também é indicado em terapia de associação quando não há controle efetivo da glicemia. Pode ser combinado com os seguintes redutores de glicose: metformina, metformina associada a sulfonilureia ou tiazolidinediona, e também à insulina prandial (na hora das refeições). Em ambos os casos, o paciente deve manter uma dieta adequada e praticar exercícios físicos. CONSULTE SEU MÉDICO ENDOCRINOLOGISTA, NÃO USE MEDICAMENTOS SEM PRESCRIÇÃO MÉDICA.

 

 
[1] INTERNATIONAL Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas 7th edition. Disponível em: <http://www.idf.org/diabetesatlas>. Acesso em: 12 ago. 2016.
[2] Patient Prefer Adherence. 2016 Jul 22;10:1299-307. doi: 10.2147/PPA.S106821. eCollection 2016.
Poor medication adherence in type 2 diabetes: recognizing the scope of the problem and its key contributors.
Polonsky WH1, Henry RR2.

SIGA O INSTAGRAM @CLUBEDODIABETES