Libre: 14 dias depois

Veja como foi o teste com o Freestyle Libre, lançamento mais esperado até agora!

Enfim 14 dias testando o tão esperado Freestyle Libre.

O Libre veio para mim no meio de algumas emoções confusas, por isso esperei um pouco para falar Teste-libre-Aline-peqsobre ele. Como tirei o sensor na terça feira, queria “maturar” um pouco as percepções que tive.

Primeiro, para quem está me acompanhando pelo Instagram, estou correndo atrás de exames e oftalmo, pois o meu olho bom, o esquerdo, está um pouco estranho ( post de amanhã) e isso me deixou bem apreensiva.

Segundo, como o Clube do Diabetes não estava no lançamento ( e recebi uma chuva de perguntas de que critério usaram para o lançamento, já que o Clube tem lá seus 4 anos de existência e todos vocês por aqui!) Sem muitas explicações, o Libre chegou para mim, e com um sensor apenas . Se não fosse para testá-lo como uma influenciadora digital, eu não compraria o produto só para usar e escrever para vocês. Resolvi então partir para a prática: testar o equipamento. Afinal, o interesse é meu e de todos vocês!

O Libre, que usa o sistema flash para monitorização da glicose, promete dar um fim nas pontas de dedo frequentes pois usa um sensor do tamanho de uma moeda de 1 real fixado na antebraço por uma agulha flexível de 4mm. Essa agulha, através do liquido intersticial ( ao contrário dos glicosímetros tradicionais que usam sangue), faz a leitura de nossa glicemia em tempo real. O aparelho, que funciona como um leitor, scanneia o sensor e apresenta os valores no momento em que passamos ele pelo braço. Legal né?

Primeiras percepções

 Demorei anos pra pensar em bomba e cheguei a pensar em não querer a bomba da Medtronic por que teria que ficar com a cânula e o sensor, duas agulhas, dois penduricalhos em mim. Que engano!!!!! Se arrependimento matasse..

Ficar com a cânula da bomba E com o Libre, para mim, não me atrapalhou em absolutamente nada . Dormir, treinar, banho, nada!!!! A única ressalva é que perdi um braço para variar as aplicações de cânula da bomba, mas nada que outras regiões do corpo não pudessem sustentar! Se bem que não sei se poderia ficar com o sensor e uma cânula no mesmo local…será? 😉

IMG_2400Dá até vergonha de falar, mas como o aplicador do Libre é diferente do que uso da Roche, fiquei meio confusa na hora de aplicar – embora o manual explicativo seja bem detalhado – e atrasei uns 2 dias a colocação do sensor. Até que fui no site do Libre pra me certificar, e vi o vídeo explicativo ( abaixo). Eu estava mesmo era com medo de doer!!!! Empurrei a parte cinza e pronto! NÃO DOEU!

O sensor

 Apesar de ter o tamanho da moeda de 1 real, ele é gordo, então não é muito discreto visualmente, caso você seja usuário assíduo de blusas sem manga. Tirando isso…..cuidado apenas para não se enroscar!

Eu, como não tenho o campo visual direito muito apurado ( o sensor estava la) trombei em umas 200 portas só porque estava com o sensor. Tá louco! E nada dele cair. A cola é tão poderosa que foi difícil de tira-lo 14 dias depois.

Com o sensor no braço direito e com a cânula no esquerdo….treinando! 🙂

No dia da aplicação tive a sensação de o braço ter ficado meio dolorido, mas acho que foi bobagem. Até treinei, nem senti nada.

 As glicemias

 Nos primeiros dias as glicemias simplesmente não ficam iguais. O brinquedo leva uns dias para se

Neste momento, a glicemia nos 2 aparelhos apareceram quase iguais

Neste momento, a glicemia nos 2 aparelhos apareceram quase iguais

“acostumar” com o corpo, e isso reflete nos resultados. Para mim, foi estranho só no primeiro dia. Logo depois, tudo começou a ficar lindo. os resultados eram bem aproximados!  Tive momentos de ver números idênticos nos dois monitores!!!

Nesse período, na maior parte das vezes, eu usei o Libre e o Accu Chek Combo, para comparar os

resultados. Mas algumas vezes, por pura preguiça ( principalmente a noite), eu so usei o Libre. Que delicia!

Infelizmente o Libre NÃO substitui as picadas de dedo que muitos reclamam ( eu, sinceramente, faço isso há tanto tempo que não me importo, mesmo!) . Em alguns momentos até o fabricante orienta no manual para que se faça o dextro:

  • Hipoglicemias
  • Dias com muitos sobes e desces
  • Quando você está se sentindo diferente do resultado ( ex: aparece um 300 e você está se sentindo ótimo)

Mesmo assim, se eu fosse usá-lo com frequência, acho que faria alguns dextros junto, principalmente os de glicemias baixas. Em alguns momentos de hipo – tive muitas nesse período – a diferença de resultados facilmente me induziria a erro.

O preço e a compra

 O Libre custa caro. Não sei se é só pelo fato de ser um produto inovador, de ter uma tecnologia nova, e único no mercado. Mas é certo que muitos não conseguirão usufruir dessa novidade.

O kit com o scanner e dois sensores custa 599 reais. Cada sensor custa 239 reais. Precisaremos de 2 por mês.

freestyle-libre-conteudo

O Libre é vendido online e a Drogaria Onofre é a única credenciada para venda. Quem comprou o aparelho fora precisa adquirir outro aqui no Brasil. E, para a compra, é necessário se cadastrar no site e entrar na fila de espera.

Diferenciais

 O Libre, além do sensor, também funciona como glicosímetro tradicional, com as tiras reagentes do Freestyle Optium ( basta não esquecer de ter por perto as tirinhas e um lancetador né? :p)

Para quem não usa o Accu Chek Combo, o software do Libre ajuda demais no controle!!! Nas glicemias, as setas que indicam as tendências ( presentes na bomba da Medtronic , e que eu AMO) te ilustra bem a situação e te ajuda a tomar decisões como, por exemplo, quando vai praticar esporte e decidir o que deve comer, quanto, etc. As funcionalidades são muito legais. No momento que você scanneia sua glicemia, você pode inserir infos:

  • Insulina Rápida
  • Insulina Longa Duração
  • Alimento
  • Exercício
  • Medicação ( bom para os DM2)

Além disso, existem gráficos que te dão uma percepção real do tratamento. E sempre funciona para vermos se estamos indo bem, ou se precisamos melhorar. Sabe aquela história de que a verdade dói? Muitas vezes aqui vai doer , mas é o melhor para entrar nos trilhos do controle glicêmico. E a seta de tendências ajuda MUITO!

Gráficos:

  • Tempo Alvo
  • Diário de tendências
  • Média nos últimos 7, 14, 30, 60, 90 dias
  • Padrões diários

Uma observação: O Libre não é indicado para crianças. Existem pacientes usando sim, mas não existe a recomendação do fabricante.

Abaixo fiz uma tabelinha de prós e contras do Freestyle Libre. Compare e converse com seu médico sobre esta opção!

tabela libre

 


SIGA O INSTAGRAM @CLUBEDODIABETES