A importância da vacinação contra H1N1 para diabéticos

h1n1_diabetes

Entenda porque é tão importante nós diabéticos mantermos nossa vacinação em dia!

Com um surto de H1N1, tipo mais grave de gripe, o Estado de São Paulo firmou acordo com o Ministério da Saúde na noite desta segunda-feira (28) para antecipar a campanha de vacinação.

Ao todo, mais de 12 milhões de doses da vacina chegarão ao Estado que é um dos que mais sofrem com o surto de H1N1. O primeiro lote chegará no dia 1º de abril com 3.183 milhões de doses. O segundo lote chega no dia 08 com 2.546 milhões de vacinas, já o terceiro e último lote contará com 6.366 doses.

A vacina protege contra os vírus Influenza A e B, especialmente o H1N1, que é o principal causador da síndrome respiratória aguda, a forma mais grave da doença.

GRUPOS DE RISCO

Os grupos de risco definidos pela OMS são: idosos; crianças menores de dois anos; gestantes; pessoas com diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal crônica, deficiência imunológica, com obesidade mórbida e, também, com doenças provocadas por alterações da hemoglobina, como anemia falciforme.

00Estas patologias merecem atenção muito especial no caso de contágio com o vírus H1N1. Para nós diabéticos, por exemplo, pode ocorrer a diminuição da defesa do organismo, o que facilita o risco de infecções em geral, inclusive da gripe H1N1. O diabético contaminado pelo vírus H1N1 tende a sofrer elevação relevante da glicemia. Neste momento, é imprescindível que o paciente faça a monitorização da glicemia várias vezes ao dia e receba acompanhamento médico.

Converse com seu médico sobre a necessidade de se vacinar agora, para se proteger desse surto antecipado.

SINTOMAS

É fácil confundir a H1N1 com uma gripe comum, já que os sintomas são bem parecidos: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares e dores nas articulações. Existem, porém, algumas diferenças: a febre é de difícil controle e, geralmente, quem está com a H1N1 apresenta um quadro de desconforto respiratório. Algumas pessoas também relataram ter apresentado catarro, dor de garganta, náusea, vômito e diarreia forte. Confira o quadro abaixo com as comparações de sintomas:

Diferenças H1N1 e Gripe Comum

Diferenças H1N1 e Gripe Comum

Segundo o Ministério da Saúde, no aparecimento desses sinais, o mais indicado é procurar um médico. A partir daí, se for necessário, o paciente é encaminhado para hospitais de referência, para avaliação .

A IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO

Converse com seu médico! A vacinação nesse momento é importante para os grupos de risco. Com a prescrição de vacinação ou com um atestado de portador de Diabetes ( você anda com sua identificação “Tenho Diabetes?”) podemos receber a dose de vacina que será disponibilizada agora no mês de abril.

O importante a ser ressaltado é que , mesmo recebendo a vacina agora no mês de abril, será necessário SIM uma nova vacinação assim que a campanha de 2016 tiver início. Isso porque o lote disponibilizado para esta campanha antecipada é do ano passado e, uma vez que se tratam de vacinas diferentes, isto é, a composição que será utilizada durante a Campanha Nacional de 2016 será diferente, e a composição pode mudar por causa dos vírus circulantes em cada ano.

PREVENÇÃO

Além da vacinação, os cuidados básicos com a higiene auxiliam muito a prevenir o contágio e a proliferação do vírus. São eles:

  • Lave bem as mãos com água e sabão; sempre que possível
  • Evite tocar olhos, boca e nariz após contato com superfícies em locais públicos
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal
  • Cubra a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar
  • Tente permanecer em boa saúde: Repouse, evite o estresse, beba bastante líquidos e se alimente bem
  • Ao menor sinal de sintomas , procure um médico!

Fontes consultadas:

PortalG1

SBEM

Einstein

EBC

 


SIGA O INSTAGRAM @CLUBEDODIABETES