Qual é a atividade física ideal para diabéticos?

Prof. Dr. William Ricardo Komatsu
CREF 0916 G/ SP

williamDoutorado e Mestrado em Ciências Endocrinológicas pela Disciplina de Endocrinologia da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP, Graduado superior em Licenciatura em Educação Física – FEFISA, Especialista em Fisiologia do Exercício – UNIFESP, Docente do Curso de Especialização em Medicina Esportiva Aplicada às Ciências da Saúde – UNIFESP, Diretor técnico científico da Bio-Track Atitude e Saúde, Fisiologista do Ambulatório de Endocrinologia do Esporte da Disciplina de Medicina Esportiva da UNIFESP, Fisiologista do Ambulatório de Bomba de infusão de insulina do Centro de Diabetes da UNIFESP

Nesta coluna abordaremos dúvidas de muitos pacientes na hora de iniciar a prática de atividade física. Que exercício escolher? Quantas vezes por semana? E se eu, além de controlar a glicemia, quiser perder peso e aumentar a massa muscular? Confira abaixo as dicas ! Caso tenha alguma dúvida, algum comentário, escreva para nós!

1. Quais as principais obstáculos para o paciente deixar a vida sedentária de lado?

Muitas vezes a pessoa acaba se sabotando, deixando para o dia seguinte, tem um pouco de preguiça de sair da zona de conforto. Hoje achamos inúmeros obstáculos, problemas pra não iniciar uma atividade. Muitos também pensam que precisam entrar numa academia, ter um personal trainer, fazer parte de um clube, quando na verdade , uma simples caminhada já faz o efeito muito benéfico para pacientes com diabetes, e até mesmo para aqueles que não tem diabetes.

Precisamos tentar colocar metas, objetivos e a partir desse momento iniciar uma atividade física.

2. De um modo geral, que tipo de atividade física é indicado para pacientes diabéticos que precisam perder peso e manter a glicemia controlada?

Na verdade, não existe um exercício ideal, e sim aqueles que o paciente se identifica, gosta de fazer, tem estimulo positivo.

Hoje em dia está sendo muito estudado a relação do exercicio aeróbio e perda de peso. Os aeróbios não desenvolvem muito a massa muscular, o tônus, e com isso é bem difícil aumentar o metabolismo basal que é o responsável pelo maior gasto energético durante as 24 horas. Diferentemente do aeróbio, o exercício de musculação, além de melhorar a massa muscular, aumenta também o metabolismo basal, aumentando o gasto energético mesmo após os exercícios.

O ideal é conseguir combinar exercícios que aumentem a massa muscular, exercícios aeróbios caso não sinta dores nas articulações e exercícios de flexibilidade para ajudar a diminuir as lesões .

3. E com que frequência e quanto tempo de duração devem ser feitos?

Para deixar o sedentarismo 1 a 3 x por semana.

Para se obter ótimos resultados como perder peso, aumento de massa magra que inclui músculo e ossos, manter glicemia satisfatória, o ideal é fazer atividade com uma frequência de no mínimo 4 x semana com duração de 30 a 40 minutos já pode ser suficiente. Vale dizer que, para que seja efetivo, o ideal é que o treino seja mais intenso, mas isso deve ser variável de acordo com a capacidade física de cada um. Claro que para um paciente que está começando a praticar atividade, o início deve ser com a intensidade mais leve, e aos poucos, vamos intensificando.

4. Para uma pessoa sedentária que está disposta a mudar, quais cuidados devem ser tomados antes de iniciar o esporte?

Uma pessoa que está sem atividade física há muito tempo ou que não pratica esportes, deve passar inicialmente por uma avaliação médica, exames cardiológicos e, no caso do diabetes tipo 2, até mesmo o exame oftalmológico, para saber se existem algumas complicacões da doença. O exame cardiológico é muito importante, imprescindível, pois é necessário saber se a pessoa tem condição de fazer um esforço mais intenso sem prejudicar sua saúde.

5. Para pacientes DM2, é recomendado – assim como os tipo 1 – monitorar a glicemia antes da atividade física?

É imprescindível a monitorização durante a atividade. De acordo com as diretrizes, são recomendadas a monitorização antes, durante o exercício se a atividade durar mais de 1 hora, e após.

Na minha prática, eu prefiro que o paciente, mesmo sendo DM2, monitore a glicemia uns 15 minutos antes e no início do exercício para saber se existe uma tendência de queda ou elevação da glicemia.

Por exemplo, se o paciente mede a glicemia 15 minutos antes e ela está em 130, e no início da atividade 110, é necessário suplementar para evitar uma hipoglicemia. Agora se for o contrário, não há necessidade de suplementação. No DM2 o risco de hipo é muito baixo. Mas também é importante monitorar, principalmente se o DM estiver com a glicemia alta, pois se ele estiver apresentando corpos cetônicos, por exemplo, o exercício será prejudicial, e essa não é o objetivo.

6. Tivemos Natal,  Ano Novo, Carnaval e muita gente ficou parado, sem atividade física nesses períodos.O que seria ideal em períodos festivos, ou férias, viagens, para que o “estrago” não seja tão grande? Existem exercícios que podem ser adaptados para quem vai para a praia, campo , enfim, sair da rotina ( isso vale também para finais de semana!) ?

Sim. É importante para que a pessoa se mantenha ativa. Se a pessoa já tem a rotina de exercícios e não vai conseguir mantê-la onde estiver, é possível fazer de forma adaptada. Neste caso, o ideal seriam as atividades aeróbias mesmo, como caminhada, corrida, e lógico, tentar segurar um pouco a alimentação. O objetivo tem que ser o gasto energético elevado durante o período.

Uma dica, por exemplo, seria fazer exercícios 2 a 3 vezes por dia, com intensidade maior, com gasto energético maior, mas de curta duração (10 a 15 min). Corrida alternada com caminhada, por exemplo: caminhando 5 minutos e correndo 2, assim por diante, para manter elevado o gasto calórico do exercício.

Agora para aqueles que se empolgam no carnaval é necessário sempre ter consigo um carbo de rápida absorção, ingerir bastante líquidos e cautela com as bebidas alcóolicas que poderão levar a uma hipo.

7. A partir do momento que o diabético adquire uma rotina de exercícios, em quanto tempo é comum se notar resultados?

É importante saber que 1x até 3x por semana o resultado demora muito mais para aparecer, você sentirá mais disposição no seu dia a dia, irá dormir melhor, a glicemia ficará mais dentro dos valores desejados, a melhora cardiovascular e respiratória, mas talvez a diminuição de peso ou aumento de massa muscular que eram os objetivos iniciais será mais a longo prazo.

A partir de 4x por semana com certeza, será mais rápido com determinação e dedicação. Por isso não desanime!

8. E que conselho daria para nossos seguidores que precisam se mexer e ainda não começaram?

Sempre falo que pra começar a praticar, tente algo que você tenha afinidade. Porém, é importante que seja um tipo de exercício que de resultado a médio e curto prazo, senão você poderá desanimar.

Hoje os exercícios de fortalecimento, resistidos e força, como musculação, pilates, tem mostrado muito resultado na perda de medidas. Não no peso, mas medidas.

Vemos pouco resultados em relação a medidas com os aeróbios.
Para os DM2 que estão um pouco acima do peso e com dores nos joelhos e tornozelos, não façam exercícios como caminhada, bicicleta, step. Dê preferência aos exercícios de fortalecimento que nesse caso não terão impacto e não sofrerão com a sobrecarga nas articulações. Os exercícios que provocam dores no momento que estão sendo realizados não devem ser feitos.
É importante que se faça não só o que se goste, mas também os que dão resultados. Meu conselho é: tente combinar uma quantidade maior de exercícios musculares com aqueles que você goste, para que consiga obter resultados mais satisfatórios. Procure um profissional qualificado para uma orientação e prescrição dos seus exercícios

© Copyright – 2015 Clube do Diabetes. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento: mufasa